REDIRECIONAMENTO

domingo, 15 de fevereiro de 2015

IPTU mistura fúria tributária e falta de articulação

A mistura de fúria arrecadatória e a falta de um articulador político competente ajuda a explicar o anúncio do aumento colossal do IPTU em 2015. A sina arrecadatória não é novidade, e envolve desde o reajuste de ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis) de 2 para 2,3% e a taxa de vistoria em cerca de 32%.
Um articulador político recomendaria aos técnicos fazendários e ao próprio prefeito recompor a base da planta de valores em pequenas doses anuais, e não de uma única vez. Ele saberia interpretar que o contribuinte gramadense é sensível a aumentos descomunais, e que poderia haver um grande desgaste político. Como, de fato, está havendo com a chegada de carnês, apontando aumentos acima de 100% em relação ao ano passado.